Se tem algo que pode gerar uma baita dor de cabeça para o gestor de um posto é o cliente chegar no local para abastecer e não ter combustível na bomba. A insatisfação do consumidor é instantânea e aumenta se o mesmo parou ali com o combustível do veículo na reserva.  Uma boa gestão de compra de estoque de combustível é fundamental para que situações assim não ocorram. 

O estoque adequado para um posto de combustível é essencial para manter a clientela de rotina sempre feliz com o serviço e ainda proporcionar uma boa experiência para os motoristas que estão de passagem pela primeira vez na região.  

A gestão de compra de estoque do combustível também é a segurança de uma vantagem competitiva no segmento, pois, com o estoque suficiente, o seu ponto vai se destacar entre os demais da região. 

O seu endereço vai ser lembrado pela clientela que ali, independente do horário, do dia, da intensidade do movimento, sempre teve e sempre terá combustível disponível.    

Outra vantagem competitiva essencial neste segmento é que uma ótima gestão de compra e estoque de combustível permite ao posteiro ter uma maior tranquilidade na hora de realizar a compra do diesel, da gasolina e/ou do etanol. 

O profissional tem um pouco mais de tempo para acompanhar e analisar as variáveis do preço dos produtos, conseguindo negociar uma boa margem com o seu fornecedor e realizar as compras nos dias com os melhores preços, reduzindo custos significativos.  

A importância do estoque de diesel no seu posto de combustível

Além da gasolina e do etanol, a gestão de compra de diesel deve ser muito bem estudada e aplicada para que nunca falte no seu posto.  

Os motores movidos a esse combustível são responsáveis por boa parte do transporte, como caminhões, ônibus, trator, locomotivas, embarcações marítimas, entre outros. 

São esses veículos e máquinas pesados os responsáveis por transportar as mercadorias essenciais e o transporte de pessoas dentro do nosso país, tornando o diesel o combustível mais consumido do Brasil.

Para você ter uma ideia, o setor de transportes representa mais de 75% do total de diesel consumido. O  agropecuário representa cerca de 16% do consumo e o de transformação, que utiliza este combustível para gerar energia elétrica, corresponde a cerca de 5% do consumo total. 

De acordo com os dados divulgados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), somente em 2020, o consumo de diesel foi de 57,4 bilhões de litros no país. É um consumo significativo para um ano tão atípico, já que foi o período mais crítico de pandemia. 

Esses números impressionantes dão uma dimensão da importância do óleo diesel como propulsor no desenvolvimento do Brasil. 

Deste modo, a atenção com o estoque deste produto deve ser redobrada pelos gestores de postos de combustíveis, principalmente, para os com localizações mais distantes e, principalmente, os de estrada. 

A falta desse combustível para os veículos pesados, como caminhões, micro-ônibus, ônibus, entre outros, pode gerar estresse e prejuízos para o condutor e para o consumidor final do produto que está sendo transportado. Fora a experiência negativa do motorista com a sua marca.  

Como funciona o estoque de diesel, gasolina e etanol em um posto de combustível? 

Já vimos a importância de ter o controle de estoque para que nunca haja problemas quanto à disponibilidade dos combustíveis oferecidos em um posto revendedor. Mas você sabe, em detalhes, como funciona o processo de estoque desse negócio? Confira a seguir:  

O transporte de combustível sempre é realizado por caminhões-tanque

O transporte e a reposição dos diferentes combustíveis são realizados pelo famoso caminhão-tanque, que carrega os produtos nas distribuidoras e levam até o endereço do posto para fazer o abastecimento. 

Para poder carregar separadamente os três combustíveis: gasolina comum, aditivada, diesel e álcool e seus derivados, esse veículo pesado pode ter até quatro compartimentos no seu tanque.   

Seu reservatório tem capacidade máxima de 50 mil litros e a descarga para o posto de combustível dura poucos minutos, em média, 7 minutos para cada 5 mil litros. 

Na distribuidora, esse veículo de abastecimento leva até 2h para carregar os diferentes combustíveis. Tudo depende do modelo do caminhão e da quantidade que ele vai levar para o posto naquele determinado período do dia. 

Para dar conta da demanda de abastecimento dos postos, um único caminhão-tanque pode atender um ou mais endereços com uma única carga. Tudo depende da gestão de cada negócio.  

E toda vez que o motorista vai carregar o caminhão-tanque no fornecedor de combustível, ele também pega uma amostragem de 1 litro de cada combustível, que está carregando naquele momento, para entregar nas mãos do posteiro. 

O gestor do posto, ou outro profissional responsável por receber esses produtos, pega as amostras e realiza uma rápida análise de qualidade, para ter certeza do que vai ser descarregado no reservatório, garantindo a qualidade do combustível daquele posto.   

O gestor ainda guarda essas porções de combustível por segurança, por cerca de um mês, para caso venha ocorrer alguma dúvida ou uma reclamação de algum cliente sobre o abastecimento daquele combustível, o material ainda esteja no local para serem tomadas as devidas providências junto com o fornecedor de combustível.  

Como funciona o carregamento do combustível na distribuidora?  

Para que todo o produto seja entregue no dia e horário estimados, a retirada do combustível da distribuidora é agendada previamente.

O motorista do caminhão-tanque tem uma tolerância para chegar no local com até 30 minutos com antecedência e até 30 minutos de atraso. Deste modo, esse espaço de tempo não vai atrapalhar o abastecimento de outros caminhões e, consequentemente, a entrega dos combustíveis.   

E lá na distribuidora, muitas vezes, é o próprio motorista que entra no depósito – seguindo todas as regras do controle de qualidade – e realiza o abastecimento e a lacração do tanque com os combustíveis, tanto na parte debaixo, quanto na parte de cima.

A nota fiscal leva as informações desses lacres e tudo será verificado pelo colaborador do posto de combustível, que vai verificar a documentação, as amostras, citadas anteriormente, e receber esses produtos no seu estoque.  

Como funciona o armazenamento dos combustíveis em um posto?   

No posto, os diferentes combustíveis são armazenados em um tanque subterrâneo, que tem capacidade média de 30 mil litros. Porém, há postos que têm tanques maiores e outros menores também. Tudo depende da demanda do local.   

O reservatório tem a parede interna feita de aço carbono e a externa de fibra de vidro ou plástico de alta resistência. Ele fica enterrado em uma profundidade de 1,20 m. 

Para conseguir armazenar os diferentes tipos de combustíveis, ele pode ter até três compartimentos. E ainda tem os sub compartimentos para estocar as variedades de combustíveis, como gasolina comum, aditivada e premium.   

Como é feito o descarregamento de combustíveis em um posto de abastecimento?   

A descarga da gasolina, do etanol e do diesel em um posto de combustível precisa ser realizada com cautela para evitar acidentes. 

O aterramento é uma das formas mais seguras de realizar o descarregamento. O método descarrega toda a eletricidade acumulada na carroceria, que é causada pelo atrito do ar com a superfície metálica do caminhão.  

Os líquidos passam por canos feitos de materiais flexíveis e resistentes. Ou seja, não reagem com os combustíveis. Esses canos interligam as bombas de combustível e os tanques. E isso acontece desde o recebimento do produto do caminhão-tanque até o momento de abastecer os veículos.   

Como é medido o estoque no reservatório de um posto de combustível? 

Para controlar a quantidade de combustível que tem no reservatório, a infraestrutura de armazenamento do posto de abastecimento possui sensores que monitoram a temperatura, o volume e a altura do combustível no tanque. Tanto para verificar a quantidade de combustível que está entrando, quanto para apontar a quantidade de combustível que já foi vendido e, assim, controlar os estoques.  

São os sensores que estão instalados no reservatório que transmitem todas essas informações a um computador. 

4 passos para fazer uma boa gestão de compra para o seu posto de combustível  

O primeiro passo para fazer uma gestão de compra de combustível é organizar e visualizar seu histórico de compra com muita atenção.    

1. Organize todas as informações das compras de combustíveis

Com os dados organizados, o gestor do posto de combustível vai poder ter uma visão mais clara da operação, da rotina e custos envolvidos nas compras, apontando os períodos em que mais compra, o volume de combustível comprado, o preço por litro, custo com frete, prazo de entrega, impostos, bonificações, entre outras informações que sejam necessárias para ter o controle da operação de compras.

O controle preciso da compra de combustíveis também permite que o seu posto tenha um melhor planejamento financeiro, que garanta o funcionamento da operação de forma lucrativa e competitiva.

E, ainda, proporciona um cenário positivo, podendo investir a economia vinda com a compra de combustível em melhorias e até mesmo expansão.   

2. Faça melhores negociações com os seus fornecedores

Para o gestor ser ágil e conseguir melhores decisões e condições com o fornecedor, ele precisa:

  1. Ter os dados precisos e saber quais custos compõe o preço que ele está pagando;
  2. Acompanhar os reajustes e variações que acontecem no mercado e analisar se está tendo impacto no preço que ele está pagando;
  1. Com base nesses dois primeiros, ele consegue perceber se os reajustes (tanto para cima, quanto para baixo) estão sendo repassados pelo fornecedor no preço por litro, de maneira adequada. Caso não estejam, o gestor já tem os argumentos necessários para conseguir negociar melhor o preço nas próximas compras. É aquela famosa frase: “contra dados, não há argumentos”.  

Mesmo que seja R$ 0,01 mais barato, a economia pode ser de milhares ou até mesmo de milhões de reais para o seu posto de combustível.  

Por isso, é tão importante ficar por dentro dos reajustes dos combustíveis, entender cada imposto e ficar de olho se o reajuste previsto anunciado é o mesmo valor do reajuste aplicado no preço final do combustível que você está pagando.  

Veja também
7 cuidados que a sua empresa deve ter ao comprar combustível

3. Capacite os seus colaboradores 

Apresentar para a sua equipe a importância de fazer um controle preciso de compra de combustível, é o que vai fazer a empresa ter a visão geral do preço que você está pagando por litro e dos impostos que o seu fornecedor aplica, ou deixa de aplicar, no preço final do produto que o seu posto adquire.  

Por isso, oriente os seus colaboradores, passe diretrizes claras e os ensine as melhores práticas de controle de compra de diesel, gasolina e etanol. 

Além de garantir uma administração transparente, essas ações podem trazer redução de custos significativos para esse setor.  

4. Use a tecnologia a favor do seu posto combustível  

O gestor de um posto de gasolina precisa conciliar diferentes papéis dentro do negócio, o que torna o seu tempo precioso. Por isso, sabemos que nem sempre é possível se dedicar somente à frente da compra de combustível, acompanhar os reajustes do mercado e entender como ele impacta no preço de compra. 

Por esse motivo, é tão importante contar com uma ferramenta digital para proporcionar essa organização de forma muito rápida, transformando dados em informação de qualidade para que ele possa tomar essas decisões com rapidez.

Um software que ainda tenha inteligência de custeio, fornece ao gestor de combustível dados importantíssimos e estratégicos, apontando a margem e custo de fornecimento e ainda mostra as previsões de alta ou baixa no preço dos combustíveis, para que ele possa sempre negociar o melhor preço do etanol, do diesel e da gasolina. 

Contar com um recurso assim é garantir mais facilidade, agilidade, inteligência para tomadas de decisão e redução de custos na gestão de controle de compras de combustíveis.   

A Combudata na gestão de compra de combustível para o seu posto

A Combudata é a nossa plataforma digital de inteligência de custeio de combustível para atender a gestão de compra da sua revenda.

Com ela você conquista uma gestão das compras organizada, tem a visão mais clara da operação de custos por litro, com frete, impostos, entre outras informações. E ainda conta com análises precisas geradas pelo software, proporcionando ao seu negócio dados importantes e argumentos para realizar melhores negociações de contratos e compras com os seus fornecedores.  

Como funciona a Combudata?

Você só precisa fazer upload das suas notas fiscais de compras de combustíveis na plataforma e o resto deixa com a gente:

  • A Combudata separa e organiza todas as informações contidas nas notas e transforma em dados estratégicos;
  • Apresenta todo o histórico e te dá a visão ampla e detalhada das suas compras;
  • Mostra todos os elementos que compõem os custos;
  • Estratifica todas as margens envolvidas;
  • Apresenta todos os reajustes que tiveram no mercado e mostra como eles impactam ou não no seu preço;
  • Monitora as tendências de mercado e fornece uma previsão de alta ou queda no preço de combustíveis, apontando o melhor momento para compra.

Assista ao vídeo: 

Ah, é importante enfatizar que a Combudata é um modelo de software SaaS. Ou seja, você não precisa fazer o download e nem atualizar o sistema do seu computador para um mais recente. 

Tudo acontece na nuvem! Basta cadastrar os dados de login e os dados básicos da sua empresa e já começar a usar. 

Experimente a sensação de diminuir custos nas compras de combustível. Faça o teste agora mesmo! Acesse e cadastre no Plano Free da Combudata.  

Se você está pensando em fazer uma melhor gestão de compras de combustível com foco em reduzir custos e quer entender melhor as vantagens competitivas que a Combudata pode oferecer, solicite uma demonstração gratuita. Nossa equipe vai explicar todos os benefícios para a gestão de compra de combustível e de estoque do seu posto. 

Bom, as dicas de hoje ficam por aqui.  

A gente se encontra no próximo post aqui no blog ou lá nas nossas redes sociais: Instagram, LinkedIn ou Facebook

Até mais! 🙂

Fontes: Sindipostos, Grupo Unipetro, Posto214Sul, SuperInteressante, gov.br, Ministério de Minas e Energia, Quatro Rodas, Gestran, Sindipostos.

Posts relacionados

Seja o primeiro a comentar!


Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *